Aconselhamento e Dúvidas Bíblicas

O blog "A Bíblia em nossas vidas" possui um sistema totalmente sigiloso e prático de atendimento interativo aos nossos leitores; em casos de dúvidas sobre algo da Palavra de Deus ou a necessidade de ajuda e conselhos da Bíblia para a vida. Mande via e-mail sua dúvida ou seu caso de aconselhamento para este endereço: abibliaemsuavida@gmail.com e receberás a resposta brevemente em seu e-mail correspondente. Graça e Paz

quarta-feira, 29 de junho de 2011

Carnaval : O que a Bíblia diz?

 
A história do Carnaval começa há mais de 4 mil anos antes de Cristo, com festas promovidas no antigo Egito, como as festas de culto a Ísis. Eram principalmente eventos relacionadas a acontecimentos religiosos e rituais agrários, na época da colheita de grandes safras. Desde essa época as pessoas já pintavam os rostos, dançavam e bebiam. Há também indícios que o Carnaval tem origem em festas pagãs e rituais de orgia. Em Roma, as raízes deste acontecimento estão ligadas a danças em homenagem ao Deus Pã e Baco, eram as chamadas Lupercais e Bacanais ou Dionísicas. Com o advento da Era Cristã, a Igreja começou a tentar conter os excessos do povo nestas festas pagãs. Uma solução foi a inclusão do período momesco no calendário religioso. Antecedendo a Quaresma, o Carnaval ficou sendo uma festa que termina em penitência na quarta feira de cinzas. Os cristãos costumavam iniciar as comemorações do Carnaval na época de Natal, Ano Novo e festa de Reis. Mas estas se acentuavam no período que antecedia a Terça-feira Gorda, chamada assim porque era o último dia em que os cristãos comiam carne antes do jejum da quaresma, no qual também havia, tradicionalmente, a abstinência de sexo e até mesmo das diversões, como circo, teatro ou festas.
Esta foi uma introdução sobre a origem do carnaval; e como podemos perceber o carnaval difere dos outros tipos de festas(baladas , boates e shows), pois seu foco e sua essência são diferentes. Enquanto as baladas, apesar de estarem contaminadas por drogas,embriaguez e promiscuidade, possuem na sua essência a dança, o encontro com os amigos, a diversão saudável( apesar de não ser assim nos dias de hoje), o carnaval possui na sua essência e em toda sua história – desde a sua origem até os dias de hoje -  o culto pagão, idolatria,os bacanais(orgias e bebedeiras) que vem do culto a Baco, imoralidade sexual, entre muitas outras obras da carne. A Bíblia condena o culto pagão e a idolatria:
"Não fareis outros deuses comigo; deuses de prata, ou deuses de ouro, não os fareis para vós. " (Êxodo 20:23).


O carnaval consegue abranger a maioria das obras da carne e nenhum fruto do espírito.Desde as mais antigas eras, os povos dos mais bárbaros aos mais civilizados, sempre dedicaram um certo período do ano a manifestações de efêmera, mas desenfreada loucura. Disso surgiu o Carnaval. O Carnaval promove desfiles suntuosos e arrebata multidões para as ruas, percorrerem as principais avenidas atrás de um carro de som (trio elétrico) ou dentro de um clube, extravasando suas emoções e suas paixões carnais, promovendo comilanças, extravagâncias, sensualidade, erotismo, exibicionismo e culto ao corpo, liberalidade sexual (orgias = sexo desenfreado, sem compromisso, sem culpa e sem pudor), uso desenfreado de álcool e demais drogas (cocaína, êxtase, LSD, maconha, lança-perfume, crack, heroína, anfetaminas, alucinógenos, estimulantes, etc) e excessos em geral, além de muita violência e imoralidade. Nas luzes dos refletores e câmeras de TVs são focados os corpos desnudos das mulheres. A palavra de Deus nos fala:
“Pois, quando estávamos na carne, as paixões dos pecados, suscitadas pela lei, operavam em nossos membros para darem fruto para a morte.” (Romanos 7:5).
“Porque bem sabemos que a lei é espiritual; mas eu sou carnal, vendido sob o pecado.”(Romanos 7:14).

Não tem como ir para o carnaval e achar que não será contaminado, pois nossa natureza pecaminosa procura rebelar-se e tornar-se independente de Deus.Se eu, como cristão, tentar lutar contra o pecado somente com minhas forças, terminarei caindo diretamente nas garras de seu poder.A Bíblia continua:

“Andemos honestamente, como de dia: não em glutonarias e bebedeiras, não em impudicícias e dissoluções, não em contendas e inveja.Mas revesti-vos do Senhor Jesus Cristo; e não tenhais cuidado da carne em suas concupiscências.”(Romanos 13:13-14).

“Pois os que são segundo a carne inclinam-se para as coisas da carne; mas os que são segundo o Espírito para as coisas do Espírito.Porque a inclinação da carne é morte; mas a inclinação do Espírito é vida e paz.Porquanto a inclinação da carne é inimizade contra Deus, pois não é sujeita à lei de Deus, nem em verdade o pode ser;e os que estão na carne não podem agradar a Deus.” (Romanos 8:5-8).

O apóstolo Paulo dividiu as pessoas em duas categorias: aqueles que se deixam controlar por sua natureza pecaminosa e aqueles que seguem o Espírito Santo. Todos nós estaríamos na primeira categoria se Jesus não tivesse nos oferecido um escape. Devemos diariamente preferir conscientemente centralizar nossa vida em Deus e não nas obras da carne das quais o Carnaval serve para comemorar.A adoração a demônios no Carnaval é explícita e perigosa, é onde o diabo está recrutando adeptos para serem seus escravos durante o ano todo. Indo para o Carnaval, a pessoa acaba sendo cúmplice das adorações e dos comportamentos abomináveis que ocorrem ali .Deus nos deu a liberdade para escolhermos ir ou não, mas Ele não quer que estejamos em uma festa cujo o objetivo é o incentivo à depravação e ao culto de figuras pagãs. Deus punirá quem desprezar a vontade dEle e preferir a depravação do Carnaval. A Bíblia nos diz:

“Porque vós, irmãos, fostes chamados à liberdade. Mas não useis da liberdade para dar ocasião à carne, antes pelo amor servi-vos uns aos outros.” (Gálatas 5:13)
“Digo, porém: Andai pelo Espírito, e não haveis de cumprir a cobiça da carne.” (Gálatas 5:16).
“Assim também vós considerai-vos como mortos para o pecado, mas vivos para Deus, em Cristo Jesus.Não reine, portanto, o pecado em vosso corpo mortal, para obedecerdes às suas concupiscências;”(Romanos 6:11-12).
“Amados, rogo-vos como peregrinos e forasteiros, que vos abstenhais dos desejos carnais, que combatem contra a alma,”(1 Pedro 2:11).
O apóstolo Paulo fez a distinção entre pecado e liberdade de servir. A liberdade, ou licença para pecar, não é absolutamente liberdade porque escraviza as pessoas à Satanás, aos outros ou a uma natureza pecaminosa. Os cristãos, ao contrário, não devem ser escravos do pecado , porque são livres para fazer o que é certo e para glorificar a Deus. A expressão “Considerai-vos mortos como mortos para o pecado” significa que  devemos considerar nossa natureza pecaminosa como morta e indiferente ao pecado. Por causa de nossa união e identificação com Cristo, não queremos mais continuar com nossas antigas práticas, nossos antigos desejos e objetivos. Queremos viver para a glória de Deus. Ao começarmos a nova vida com Cristo , o Espírito Santo nos ajudará a sermos exatamente aquilo que Deus quer que sejamos. O apóstolo Pedro também nos faz uma apelação para que nossa verdadeira lealdade deve ser à nossa cidadania celestial, não à nossa cidadania terrena, porque a terra será destruída. Nossa lealdade deve ser dirigida à verdade de Deus ,ao seu modo de vida e aos seus dedicados servos. Por sermos leais a Deus, frequentemente nos sentimos como estranhos em um mundo que preferiria ignorar o Senhor e se apegar às coisas mundanas e à rituais pagãos como o Carnaval. A palavra de Deus fala:
“assim como Sodoma e Gomorra, e as cidades circunvizinhas, que, havendo-se prostituído como aqueles anjos, e ido após outra carne, foram postas como exemplo, sofrendo a pena do fogo eterno.”(Judas 1:7)
As práticas que ocorrem no Carnaval  são bem semelhantes às práticas dos habitantes de Sodoma e Gomorra e por causa disso o fim que essa cidade teve não foi nada agradável :o fogo eterno. Muitas pessoas não querem crer que Deus condena ao “fogo eterno” aqueles que o rejeitam. Mas isso está claramente ensinado nas Escrituras. Os pecadores que não procuram o perdão de Deus, enfrentarão a eterna separação de sua presença. Judas faz essa advertência a todos aqueles que se rebelarem, ignorarem ou rejeitarem a Deus. Ir para o Carnaval é estar se rebelando(por preferir habitar no pecado), ignorando(por não dar ouvidos ao que diz a Bíblia)  e rejeitando a Deus(por ser cúmplice de uma festa pagã e de idolatria à figuras anti-bíblicas, como pudemos observar, o carnaval tem sua origem em rituais pagãos de adoração a deuses falsos), pois lá ocorre tudo o que Deus abomina. A palavra de Deus conclui :
"Porque quem semeia na sua carne, da carne ceifará a corrupção; mas quem semeia no Espírito, do Espírito ceifará a vida eterna."( Gálatas 6:8).
O carnaval além de ser uma festa que contamina toda uma cidade, é uma forma de apropriação urbana que altera sensivelmente a imagem, a ordem e os valores que regem e fazem o estilo de vida dos outros dias do ano, fazendo da cidade o lugar de uma orgia coletiva. Se a cidade é o centro das operações mercadológicas do capitalismo, durante o ritual carnavalesco, ela é reorganizada, por um urbanismo perverso, para permitir a comercialização, consumismo e o desperdício do erótico, da libido, da violência, materialismo, supérfluo, luxúria e  vaidade. A cidade é percorrida pelo lúdico, pela sedução e até pela apelação direta ao sexo livre, como registra as campanhas dos preservativos. Uma estranha cidade portátil é construída dentro da antiga, tendo as barracas de bebidas alcoólicas como principal serviço urbano. Uma multidão consumidora e espetacular e um território fantasmagórico se erguem, subvertendo momentaneamente a aparente racionalidade urbana. Neste audacioso ritual de libertinagem, patrocinado pelo poder e pelo "bom senso" de uma sociedade indiscretamente moralista, a cidade é o palco da sedução e de total entrega, sem pudor, aos prazeres da carne. A palavra de Deus é totalmente contra!!! Não só podemos, como devemos evitar estar perto de festas carnavalescas. Afaste-se disso!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário